27.4.15

Uma exposição de Pintura, da Amiga Leonor Sousa

Esta tarde fui, porque no dia da inauguração não pude ir, a Lourosa, à Casa da Cultura de Lourosa, ver a exposição de Pintura da minha AMIGA Leonor Sousa. Gostei! Gostei muito!

O edifício da Casa da Cultura de Lourosa, situado à face da Nacional 1 (IC 2)

A Pintora, junto de um dos quadros em exposição. Este foi usado para base do cartaz de divulgação da mesma ...

Alguns dos muitos quadros expostos ...

Panorâmica da Sala de Exposições.

Mais uma tarde ...

Mais uma tarde com o Samuel. Foi ontem, dia 26 de abril ...

Uma atividade habitual cá em casa ... ele no patamar, eu em baixo e pelo meio uma simples bola ... o que é tão divertido!

Deitado no sofá a ver o presente que a Madrinha lhe deu ... uma caixa e alguns bonecos. Agora já não há guerra com o irmão António!

Praia de Mira! A nossa praia! Ele e a sempre fiel bola ...

Normalmente são tratores que o fazem, antigamente eram juntas de bois. Neste caso é o Samuel e a Madrinha a tentar levar o barco da Arte de Xávega para o mar ..

Ops! Lá vem uma onda mais forte ... deu, pelo menos, para molhar as mãos ... agora até ao verão ...
 
 Areis, Bola, Bola, Areia ...  o suficiente para a brincadeira. Não é precisa mais nenhuma tecnologia!



Na Barrinha da Praia de Mira, uma voltinha de gaivota. Neste caso numa Minnie ...

Ainnda na marginal da Barrinha da Praia de Mira, um "novo" espaço. Um passadiço em madeira, com a separação da via ciclável ... a separar os dois caminhos, bancos, que o Samuel aproveitou para saltar ...






Mais uma Praia, mais diversão. Neste caso a Praia da Barra, mesmo junto ao Farol de Aveiro. Brincadeira pegada!

25.4.15

25 de Abril

Mais um 25 de Abril (aqui escrito propositadamente com A maísculo ...). O dia de hoje, marcado pelo cinzento do céu, foi rico em eventos (e ainda não acabou!)

É um dos símbolos da Revolução do25 de Abril. Este está cá em casa ...


Na cerimónia do hastear das bandeiras no Largo da República, em frente ao edifício da Câmara Municipal, os Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis.

Um passeio de motorizadas e motos antigas, numa organização do Grupo Musical Macinhatense, uma das agremiações mais antigas do Concelho.

 Atletismo na Avenida António José de Almeida, uma das tradições deste dia de festa ...


Na Loja Interativa de Turismo da cidade, duas exposições. Uma a propósito do Concelho de Macedo de Cavaleiros (daí o Careto) e outra de escultura e fotografia. Manuel Cruz Prada é o escultor, Daniel Rodrigues o fotógrafo.

De tarde, na esplanada do Gemini, a Prova de Aptidão Profissional da Adriana Soares, aluna do Curso Profissional Técnico de Turismo, no Agrupamento de Escolas Soares Basto, que organizou o evento, 25 de Abril. Sempre!
 
A primeira atuação esteve a cargo dos três jovens elementos dos Paradigma. Boas vozes, boas músicas, algumas recordações ...
O tempo não ajudou ... houve momentos de chuva. Felizmente que o espaço tinha uns avançados que nos permitiram alguns resguardo ...

O segundo momento musical da tarde foi da responsabilidade do Fernando Daniel, um músico ex- Factor X
Para terminar a tarde, os A TRupe, um grupo de percussão e malabarismo.

Agardecimentos finais.

23.4.15

Dias ...

Os dias não param ... Ontem, 22 de abril, foi o Dia da Terra, hoje, 23 é o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor, sábado, 25, festejamos o quadragésimo primeiro aniversário da Revolução dos Cravos. Em poucos dias, muitos Dias!

No Dia da Terra, a NASA publicou uma fotografia do Sudoeste da Europa,  mais em pormenor da Península Ibérica à noite ... dá para ver onde vivemos ...
 O Cartaz que a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas divulgou para assinalar, este ano, o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor.

O 25 de Abril e o Capitão Salgueiro Maia, estão intimamente ligados. Foi ele que comandou os revoltosos saídos da Escola Prática de Cavalaria em Santarém e os trouxe até Lisboa, onde, em jeito de epílogo, assitiu à rendição do Primeiro Ministro, Marcelo Caetano.

19.4.15

Começar de novo ...

Tudo pronto! Amanhã é um novo dia e todos vão entrar ou sair por este portão! Orgulhosamente Soares Basto!

Eu, na EscolaTV



Na emissão desta semana da EscolaTV, projeto interessantíssimo do Agrupamento de Escolas de Búzio, em Vale de Cambra, eu estou presente ...

17.4.15

Tudo tem um fim ...


Pois é! Tudo na vida tem um fim ... é assim com os Seres Vivos, é assim com as Organizações, é assim com as Coisas ... 

Hoje, dia 17 de abril, foi o último dia de aulas na Escola Básica Bento Carqueja, o nome atual de uma escola que durante muitos e muitos anos foi conhecida em Oliveira de Azeméis, como "O Ciclo".

Eu fui um dos primeiros alunos do Ciclo Preparatório de Oliveira de Azeméis. Foi no ano letivo 1971/1972 que iniciei os meus estudos preparatórios. Nesse ano, a maior parte dos meus colegas foram para as primitivas instalações do Ensino Técnico na vila, a escola mandada construir pelo  grande Oliveirense que foi Bento de Sousa Carqueja, com os fundos da herança de Francisco Alves Soares Basto, o emigrante regressado do Brasil, com fortuna! Mas eu e mais alguns ficámos na Escola Industrial e Comercial de Oliveira de Azeméis, porque não havia espaço para todos nas instalações atrás da Igreja Matriz. A minha sala de aulas foi a sala 35, junto ao posto de transformação e que, neste momento, aguarda demolição para dar lugar ao edifício da eletrónica.

Nos anos 80 do século passado, as instalações a sul da Escola Secundária de Oliveira de Azeméis (hoje Soares Basto) passaram a ser ocupadas ... entretanto a escola ganhou o Terceiro Ciclo. Mais tarde, no início deste século, com a junção ao Agrupamento Horizontal de Escolas Terras de La-Salette, deu origem a um Agrupamento Vertical, que se extingiu em 2013, com a fusão com a Escola Secundária Soares Basto. 

Pelo meio, o início das obras de requalificação promovidas pela Parque Escolar, que criaram condições para uma escola com capacidade para cerca de 1800 alunos. Hoje, quase concluídas as obras, foi o fim da linha para a Bento Carqueja!

14.4.15

Linda! A minha escola é Linda!

Hoje, ao final da tarde, tive o privilégio dum convite. A Diretora do Agrupamento de Escolas Soares Basto, convidou-me a integrar uma visita às instalações renovadas ou refeitas da Escola Secundária Soares Basto. Foi no final do Conselho Pedagógico e fiquei feliz pelo convite.

Foi uma visita, que para mim, me deixou bastante emocionado ... são quase 25 anos de trabalho nestes espaços ... Geografia, Introdução àsTecnologias da Informção, Ciências Sociais e Formação Cívica, Ciências do Ambiente, Cidadania e Profissionalidade, Professor Bibliotecário, passagens pela Direção da Escola, enfim ... muitas e muitas memórias.

Hoje foi a possibilidade de ver um espaço que está na fase final de acabamentos, pois a partir de sábado, vamos mudar e segunda-feira, dia 20, vamos passar a usufruir dele ... 

Esta escadaria tem algo de cénico, teatral ... vai levar-nos do piso 0 (ou 1) ao piso 1 (ou 0) na magnífica entrada da Escola.

Já foi Ginásio (o ginásio pequeno), que nos tempos da EICOA era destinado às alunas ... foi pensado para uma determinada disciplina, mas pelo que ouvi hoje à Maria José vai ter outras funções ... vai ser um passo à frente!!!

Muitos de nós sonhámos pela transformação deste espaço ... um antigo sótão, cheio de história, mas também de muito, muito, mas mesmo muito, lixo deu lugar a um espaço de trabalho ... espero que a partir de segunda- feira deixe de ouvir determinados lamentos ...
 
Mais uma vista sobre o hall de entrada ... Um espaço fantástico! Neste piso, a Direção e a Biblioteca Escola Madalena Sotto! Lindo!

[Mais imagens podem ser vistas aqui]

13.4.15

Vila de Cucujães, uma terra que já foi Couto

No alto da pequena elevação, o Mosteiro Beneditino de Cucujães, que atualmente pertence à Obra Missionária de Cucujães, popularmente conhecida como as "Missões"

O estado de abandono e degradação da Estação do Couto de Cucujães, como se lê numa placa que ainda resiste na frontaria do edifício. Que pena ... uma das quatro estações (cinco, pois a de São João da Madeira também pertencia ao concelho, aquando da construção da linha) que a Linha do Vouga tem (tinha) em território de Oliveira de Azeméis. Couto de Cucujães (ao abandono), Oliveira de Azeméis (desativada mas com alguma manutenção, pois é o términus (ou início) da Linha do Vouga) ..., Ul, transformada em restaurante e Pinheiro da Bemposta, hoje sede de um clube desportivo ...

Apesar dos esforços dos "artistas" continuo a achar que isto não é arte, mas sim destruição ... Se os autores tivessem aproveitado muros ou edifícios abandonados, para expressar a sua "arte", aplaudia. Agora, aquilo que é de todos nós, como é o caso das automotoras da Linha do Vouga! Tenham lá paciência!

Prémio

Este livro, do José Eduardo Agualusa, foi o prémio da minha participação num dos desafios promovidos pela Biblioteca da Escola Secundária de Arouca, através do seu blogue BiblioESA, durante a Semana da Leitura 2015, que decorreu na última semana de aulas do segundo período. O livro foi-me entregue, hoje, pela professora bibliotecária Adelaide Peres.

12.4.15

11.4.15

Ontem & Hoje

Entre a tarde de ontem e a tarde de hoje, fui duas vezes a São Roque, mais precisamente à Junta de Freguesia. Foram dois eventos relacionados com a apresentação de livros.





 
Ontem à tarde, no Auditório da Junta de Freguesia foi tempo de assinatura dos protocolos dos Agrupamentos aderentes ao Projeto Clube de Inteligência Emocional na Escola, uma iniciativa que começou na EB Comendador Ângelo Azevedo, a que se seeguiu um workshop de lançamento do livro "Inteligência Emocional Aprenda a ser Feliz" da autoria da amiga Manuela Queirós, a grande mentora dos CIEE.

Hoje de manhã uma ida a Vale de Cambra, ao Centro Escolar do Búzio abrir uma ação de formação para Educadoras de Infância e Professoras do Primeiro Ciclo e uma passagem pela Escola Secundária Soares Basto, onde se ultimam as obras do edifício "antigo" que será entregue no próximo sábado, dia 18.

De tarde, nova ida a São Roque. Novamente no edifício da Junta de Freguesia, mas desta vez na sala de sessões. Apresentação do livro de Flávio Capuleto "Amar não é Pecado"


Nas imediações do edifício da Junta, um parque e um edifício que me foi dito ser uma arrecadação, mas que de arrecadação tem muito pouco. Solução muito interessante do ponto de vista estético.

A Presidente da Assembleia de Freguesia, Carla Mota Carvalho e a Isabel Barbosa, a Amiga a convite de quem fui até lá e que fez a apresentação do livro.

A mesa que presidiu ao evento. Da direita para a esquerda: Isabel Barbosa, a apresentadora da obra, Flávio Capuleto, o escritor sãorroquense, autor da obra apresentada, Amaro Simões, o presidente da junta de freguesia e Carla Mota Carvalho, a presidente da assembleia de freguesia.
A animação da atividade contou com música. Foi a voz do músico e cantor Rui Amorim, um oliveirense.
O escritor a dizer algumas palavras sobre a obra apresentada.

O Manuel Dias disse dois poemas, um de António Gedeão e outro de Miguel Torga. Um final em beleza que voltou a contar com a voz e a música do Rui Amorim.