30.8.11

De regresso no final das férias ...

As férias terminaram! Foram quinze os dias que estivemos em Carromeu, Mira. Para o ano há mais ...

Como lembrança destes dias de descanso, fica a memória do que fizemos, dos sítios que visitámos, e as muitas, mesmo muitas fotografias que foram tiradas ... 

A ilustrar esta entrada, uma fotografia de um original stand na Feira do Livro da Praia de Mira.

11.8.11

Festival Internacional de Bibliotecas Itinerantes

Começou esta manhã em Turku, Finlândia, o Festival Internacional de Bibliotecas Itinerantes

Portugal está representado através da presença do Nuno Marçal, responsável pela Bibliomóvel de Proença-a-Nova. O festival decorre até ao próximo sábado, dia 13 e mais informação pode ser consultada aqui.

10.8.11

História da indústria do calçado em exposição

Esta tarde, depois de durante a manhã ter feito uma visita virtual à Biblioteca Pública de Nova Iorque, fui fazer uma visita bem real ao Museu da Chapelaria em São João da Madeira. Motivo, ver a exposição temporária sobre a evolução da indústria do calçado na região em que São João da Madeira se insere, para aquilatar do seu interesse para os formandos EFA, que dentro de menos de um mês, retomam as suas actividades formativas. Ao mesmo tempo, aproveitei e vi uma exposição de chapéus, oriunda do Museu Nacional do Traje. Foi mais um bocado das férias bem passado, pois para além da visita, a viagem Oliveira de Azeméis, São João da Madeira e vice-versa foi feita em comboio ...

Fachada principal do Museu da Chapelaria
Escultura de homenagem aos Unhas Negras, nome porque eram conhecidos os chapeleiros
Pormenor da escultura
O título da exposição
A mesa do sapateiro, numa produção artesanal ...
Várias máquinas usadas nas tradicionais oficinas de calçado ...
Um dos sapatos da colecção histórica do CFPIC
Um exemplar da mítica SANJO
O criador oliveirense Luís Onofre também está representado na exposição
Texto à entrada da exposição de chapéus
Alguns, dos muitos, exemplares expostos

Oliveira de Azeméis na Biblioteca Pública de Nova Iorque

Hoje, vi no Blogue da Rede de Bibliotecas Escolares, uma entrada com um vídeo sobre um desfile de moda na Biblioteca Pública de Nova Iorque. Vi o vídeo e tive curiosidade de ir ver a página da Biblioteca. Uma das funcionalidades (aliás) para mim a principal funcionalidade é o acesso ao catálogo.

Fiz uma experiência. Na caixa de escrita escrevi "Oliveira de Azeméis". O resultado, pode ver-se na imagem ...


7.8.11

As Oliveiras de Azeméis

A história do nome das localidades, muitas vezes, está envolta em mistério, lendas e outras situações semelhantes. Oliveira de Azeméis não foge à regra. Segundo o jornal digital oazonline, o nome da povoação que é hoje a sede do concelho:

"Origem do nome:
Em que época exacta a povoação de Oliveira de Azeméis se começou a denominar-se assim, ainda não se conseguiu determinar.
Recorrendo aos "Annaes do Município", encontramos algumas pistas. Aí afirma-se que "Se atendermos à tradição popular, o Visconde de Santa Maria da Arrifana, aqui houve uma oliveira ou diversas, a cuja sombra ou tronco se abrigavam ou prendiam suas azemolas os azemeis, que vinham da parte do Mosteiro de Arouca para conduzir-lhe fóros, que por estas terras se lhe pagavam. Pode ser que estas duas circunstâncias, isto é, a da existência de oliveiras aqui e a dessa passagem dos azemeis, se as houve, reunidas na imaginação popular, dessem motivo para essa crença de verosimilhança."
Tem-se, contudo, pretendido explicar o sobrenome de Oliveira pela origem arábica do termo azemel.
A explicação defendida pela maioria dos autores que estudaram este assunto é de que o termo “Oliveira de Azemees” é de cerca de 1185 e vem distingui-la de várias outras localidades também denominadas Oliveira, mas ainda destacá-la como espécie de interposto de mercadores que então se chamavam “Azemeles”.
E esta parece ser a explicação mais lógica e fundamentada para o nome Oliveira de Azeméis.
A mais antiga referência documental a Oliveira de Azeméis, porém, só surge em 922, através de uma doação amplíssima feita pelo rei Ordonho ao bispo Gomado e ao Mosteiro de Crestuma.
Depreende-se deste diploma, que em 922, Oliveira de Azeméis seria uma freguesia rural, dividida por vários pequenos proprietários. A vila aparece com o nome "Villa Olivaria", tendo como patrono S. Miguel: “et villa olivaria ecclesia vocabulo sancti Michaelis, cum suos dextros integros et suas aiectiones.”
Só muito mais tarde, nos começos do século XVI aparece o nome Oliveira, quando Leão X a erigiu em Comenda Real, através da doação feita, em 1518, à Ordem de Cristo de um importante quinhão que pertencia ao Conde da Feira, D. Diogo Pereira, transformando-a assim em Comenda Real daquela Ordem, concedida depois a notáveis Comendadores que contribuíram, em parte, para a sua ulterior emancipação municipal.
Só em 5 de Janeiro de 1799, foi elevada à categoria de Vila e sede do Município, por D. Maria I. Com a reforma administrativa de Mouzinho da Silveira, em 1856, Oliveira de Azeméis passou a ser o Município que é hoje, mercê também da extinção do Município da Bemposta, o qual se estendia por algumas freguesias que, desta forma, passaram para o Município de Oliveira de Azeméis, como o caso de Pinheiro da Bemposta, Palmaz, Loureiro, Travanca e Ul.
A 16 de Maio de 1984, é elevada à categoria de Cidade, mercê do seu notável progresso, densidade demográfica e categoria das suas estruturas urbanas.

in Monografia de Oliveira de Azeméis"

A existência de Oliveiras (Olea europaea) em Oliveira de Azeméis é, como tudo indica uma ocorrência desde tempos imemoriais. No entanto, durante muitos anos as Oliveiras quase desapareceram do nosso território. Felizmente que, a partir da década de 90 do século passado, algumas entidades, nomeadamente a Junta de Freguesia e a Câmara municipal, trataram de inverter essa situação. E foi assim, por exemplo, na Praça da Cidade, onde foi construída a Alameda das Oliveiras, com vários exemplares da árvore. 



As Oliveiras da alameda das Oliveiras na Praça da Cidade - Fotografias de 6 de Agosto de 2011

6.8.11

As festas estão aí

As Festas de La-Salette 2011 estão aí. Festas da Cidade e do Concelho, que se realizam desde os finais do século XIX, e que todos os anos atraem à cidade milhares de visitantes.

O programa é o possível para esta época que dizem ser de crise.

Associado às Festas de La-Salette está o Feriado Municipal, que para muitas pessoas é a segunda segunda-feira do mês de Agosto. Mas não é. O feriado municipal corresponde à segunda-feira das merendas, tradicional, mas em desuso, actividade dos Oliveirenses, que nesse dia vão até ao Parque com os seus farnéis e aí merendam. Este ano, por força do calendário é apenas na terceira segunda-feira do mês, porque o arranque das festas é no primeiro domingo do mês.


Há volta por aqui ... (parte 4)

Num dia em que o S. Pedro não colaborou, a Volta a Portugal em Bicicleta passou por aqui. Foi dia de partida para a segunda etapa - Oliveira de Azeméis - Santo Tirso. Numa manhã muito chuvosa, tudo por culpa duma frente fria que viajou lá do Atlântico, a partida foi dada no centro da cidade. Toda a animação e colorido, que só as competições ciclísticas permitem, estiveram presentes na cidade ... parabéns a quem tornou possível esta animação ...

Enquanto agurdavam pela actuação, os elementos do Rancho Folclórico do Grupo Musical Macinhatense iam aquecendo ...
Tamanho familiar?
Jogos Santa Casa, principal patrocinador da prova
Vai um cafezinho?
Montar mais uma máquina ...
A Volta é em Ciclismo ou em Atletismo (ou uma corrida até à assinatura do ponto ... )
Com uma beleza assim quem é que não veste a amarela?
Entrada no empedrado do centro histórico (rua António Alegria)
Entrada no empedrado do centro histórico (rua António Alegria)
Entrada no empedrado do centro histórico (rua António Alegria)
Na avenida António José de Almeida
Na avenida António José de Almeida
Na rua Dr. António Luís Gomes (Pai)
Na rua Dr. António Luís Gomes (Pai)
Fim de festa na Praça da Cidade

Há volta por aqui ... (parte 3)

  Antes da partida é necessário preparar todos os pormenores ...


Verão Total? Onde está o bom tempo associado à ideia de verão?
Todo o equipamento preparado para a emissão do Verão Total a partir das 11 horas na RTP 1
Os meios da RTP no acompanhamento da Volta

Mecânicos da equipa russa Itera - Katusha a preparar o equipamento para a etapa

Com estas bicicletas os corredores não vão a lado nenhum, mas os hóspedes do Hotel Dighton podem ir passear ...

Interior do camião de apoio da equipa russa
Zona da partida junto ao antigo mercado provisório
A partida simbólica vai ser dada aqui, na Rua Abílio Campos (ao mercado provisório)

5.8.11

Há volta por aqui ... (parte 2)

Como escrevi na entrada anterior, esta tarde a Volta a Portugal em Bicicleta já passou por Oliveira de Azeméis. É certo que foi uma passagem pelo IC 2 (Nacional 1), mas passou e havia espectadores a ver os ciclistas a passar ...

Em Cidacos, à passagem dos três fugitivos
O pelotão com mais de cinco minutos de atraso ...
Um dos dois atrasados a aproveitar o embalo do carro de apoio
No céu o helicóptero da RTP

Há volta por aqui ... (parte 1)

Hoje e amanhã, é dia da Volta a Portugal em Oliveira de Azeméis. Hoje, por volta das 15 horas (mais coisa, menos coisa) os ciclistas passam no IC 2 a caminho de Oliveira do Bairro, onde termina a primeira etapa, que se iniciou na Trofa.

Amanhã, dia 6, os corredores vão partir às 12:30 para a segunda etapa que vai ligar Oliveira de Azeméis a Santo Tirso. É uma etapa de sobe e desce, ideal para aqueles ciclistas que melhor trepam ...
Percurso da  Etapa Oliveira de Azeméis - Santo Tirso (Monte da Senhora da Assunção)
Perfil da  Etapa Oliveira de Azeméis - Santo Tirso (Monte da Senhora da Assunção)
Percurso da Etapa no interior da cidade