22.8.15

Uma Exposição de Escultura na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro


Inaugurada a 7 de agosto e com encerramento previsto para o dia 1 de outubro, a Biblioteca Municipal Ferreira de Castro em Oliveira de Azeméis, tem patente uma exposição coletiva de escultura. No átrio, na Sala de Adultos e no pátio interior é possível ver várias peças ...


Intitulada PARALELOS DE LEITURA, Exposição Itinerante de Escultura é o resultado do trabalho de três artistas, formados na década de 90 do século passado na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, que compõem o coletivo ESCULTURA DE RAÍS. São eles Ângelo Ribeiro, João Macedo e Moisés Tomé e as obras em exposição são, basicamente, em metal ... A ver!




Mais um Mercado de Rua

Hoje, o penúltimo sábado de agosto, é dia de Mercado de Rua. Antes das 10 horas já era grande a azáfama na instalação das bancas, mas, o S. Pedro parece que quer vir ao Mercado ...




21.8.15

Até à próxima ...

Esta entrda é dedicada ao João e à Karina ou vice-versa ... hoje despediram-se de terras aveirenses, num regresso ao país que os acolheu à quase dois anos ... assim, só posso dizer, até à próxima!

Depois do almoço, o café foi no Retiro da Montanha, em pleno Parque de La-Salette. Mas antes ouve tempo para uma fotografia no Miradouro António Tavares. Com um fundo muito bonito, a Karina, o João e a Matriarca da Família, a Avó Raquel (avó materna do João)


Estas originalidades podem ser vistas na loja lalaLand em Santa Maria da Feira, propriedade de umAmigo e colega de curso do João, o Rui Pinho. Ideias muinto interessantes ...

Foi neste que eles foram para Lisboa, de onde vão embarcar amanhã de manhã rumo a Dublin ... o Alfa Pendular das 17:21 em Aveiro ...

Numa parede em frente à Estação de Aveiro (do lado poente "estação velha") uma obra do Alexandre Farto, aliás Vihls ... Gosto muito e aplaudo este tipo de arte urbana ...

18.8.15

Crónica duma viagem de Ida e Volta



Comboio das 12:20 em Oliveira de Azeméis - quatro carruagens

Parte da tarde de hoje foi passada em Ir e Vir a (de) Espinho. Como tive de ir a casa dos Amigos Fernanda e Fernando, mais uma vez, optei por usar o Vouguinha …

Fui no comboio que supostamente saía de Oliveira de Azeméis às 12:20, mas que por motivos de operação só saiu às 12:34. Um comboio com quatro carruagens …

Enquanto esperava pude constatar que os “artistas” do grafiti usam esta estação como local das suas “pinturas” num património que é de todos nós, pagadores de impostos. Os vestígios de tinta na plataforma, são como o algodão, não enganam … 

É possível ir à porta e chamar por alguém que está na plataforma para embarcar ... a fotografia não mente!
Na saída do comboio em direção a Espinho, o número de passageiros, não era muito grande, antes pelo contrário. Na carruagem em que viajei, apenas seis viajantes. Mas, à medida que a composição parava em apeadeiros e estações, o número ia aumentando, pois o dia está bom, o sol faz com que a praia apeteça e Espinho, também é praia …

Ao chegar a Espinho – Vouga, a última (ou primeira) estação da Linha do Vouga, eram umas dezenas muito largas de passageiros. Assim, vale a pena!

Comboio e Autoestrada, duas realidades ...

Ao fundo, já se vê o Mar!

Chegada a Espinho
Depois te ter resolvido o assunto que me levou até à cidade mais a norte do distrito de Aveiro, aproveitei e dei uma pequena volta pela marginal. Praia cheia, bastante cheia, apesar do vento, que até é normal nas praias do norte de Portugal nesta época do ano …

Um belo exemplar da Caçada à Portuguesa. Bom gosto!

Para quê retirar s ea cada 365 (ou 6) dias as Festas natalícias acontecem d enovo!

Ao Sol!

Geometrias ...

Memórias de um Mundial feliz!

Memórias doutros tempos ...
O regresso a Terras de La-Salette, foi feito no comboio das 15:50. Mais uma vez, um pequeno atraso, ao sair, mas nada que fosse muito importante. Neste comboio de regresso, apenas com duas carruagens, já veio muita gente que passou uma parte do dia na praia … Na carruagem onde viajei, a ocupação, à saída, era de mais de cinquenta por cento da lotação. 

Curiosamente, ou se calhar até não, neste comboio vinha uma mãe com dois filhos pequenos, o mais novo, ainda muito pequeno. De certeza os foi iniciar (pelo menos ao mais novo) na “arte” de bem viajar de comboio. Eles não saíram da composição quando esta chegou a Espinho e regressaram até Paços de Brandão …  uma excelente forma de dar a conhecer um meio de transporte. Está de parabéns aquela Mãe!



Estação de Espinho - Vouga
Com o aproximar de Oliveira de Azeméis, sobretudo depois de Paços de Brandão, os passageiros foram saindo, mas a verdade é que na estação final, ainda éramos mais de 15 pessoas … Vale a pena manter este serviço em funcionamento!
Em Oliveira de Azeméis, o final da viagem comercial. Agora é tempo de ir até à Sernada do Vouga, fazer manutenção ...

16.8.15

A propósito do Vouguinha

Já escrevi várias entradas, neste meu blogue, sobre o Vouguinha, nome carinhoso dado à Linha do Vouga, a única que neste momento está ativa em Portugal com bitola métrica. São as minhas viagens, em que faço uso dele, foi uma Volta ao Distrito, que fiz com o Zé Luís, a bordo de comboios que circulam nesta linha, enfim, muitas entradas.

Hoje, aqui fica mais uma. Este mês a revista digital, TrainSpotter, tem um conjunto vasto de artigos (da página 11 à 45) sobre o Vale do Vouga, a propósito do passado, do presente e também do futuro ...

14.8.15

Para quem, como eu, gosta de viajar de comboio ...

É verdade. Gosto de viajar de Comboio ... sempre que tenho de ir a Lisboa, normalmente, vou de comboio ... ainda anteontem publiquei uma entrada sobre uma ida a São João da Madeira, tinha ido no Vouguinha ... Faz anos, 12 ou 13, já não me lembro,  fiz umas viagens a Espanha e fui de comboio ... Recordo uma vinda de Palma de Maiorca, em que fiz a ligação maritima em catamarã e depois fiz, Barcelona, Madrid, Entroncamento, Estarreja ... quase 24 horas!

Mas tudo isto porquê? Porque hoje encontrei, através do Facebook, uma "reportagem" fotográfica, com 43 fotografias, sobre viajantes nos comboios na Rússia, um país com algumas das maiores linhas do mundo. Basta recordar a Transiberiana, que liga Moscovo a Vladivostok na Sibéria.

Uma bagagem improvável ou o viajante improvável ... comodamente (') instalado o gato viajante ...

Passar neste corredor pode não ser a mais gratificante das experiências ....

Um modelo especial para viajantes de longa jornada ... meias arejadas!

Três pernas? Há qualquer coisa de errado ...

Ler pode ser uma forma excelente de passar o tempo a bordo de um comboio ...
Para ver a reportagem fotográfica completa, pode clicar nesta ligação...

13.8.15

Manhã & Tarde

Algumas das fotografias que tirei esta manhã e tarde, durante as minhas deambulações ...

A Luna (à direita) e o King (à esquerda) os cães dos vizinhos da frente

Girassóis ...

Para os amantes do Grafiti, um espaço excelente ...

Um miradouro sobre a cidade e a região ...



Apesar de Benfiquista, não sou faccioso ...

Florida!

12.8.15

Oliveira de Azeméis # São João da Madeira # Oliveira de Azeméis

Um bocado da tarde de hoje foi usada para um salto a São João da Madeira. Motivo, a exposição na Biblioteca Municipal Dr.. Renato Araújo. O meio, o Vouguinha ... para ir, o das 14:40 e vir, o das 16:38 ... depois, uma caminhada, por motivos comerciais, por algumas ruas da cidade. Aqui fica o registo fotográfico ...

Registo áudio a bordo do Vouguinha, no regresso a Oliveira de Azeméis.

Não sei quem é o REiS, mas seja quem for é um grande "artista". Se a empresa fosse privada, provavelmente, já teria(m) sido(s) identificado(s) e devidamente presente(s) à justiça ...

Como Oliveira de Azeméis é o "fim" da linha (as automotoras só vão até à Sernada do Vouga fazer a manutenção) é preciso fazer o reabastecimento ...

Um a chegar, outro a partir ...

Foi um brilhante jogador de Basquetebol, infelizmente, prematuramente desaparecido. O concelho onde nasceu, presta-lhe homenagem através da memória em forma de nome do complexo desportivo das Piscinas e do Pavilhão.

Por todo o lado ... a praga anda por aí! Não podem ver uma parede limpa e zás ... lá aparecem umas inscrições! Continuo a dizer, há outros locais para evidenciar a Arte Urbana!
O cuarda-chuva (outros dizem chapéu de chuva o que se calhar em São João da Madeira, terra de Chapéus e Chapeleiros era mais adequado) não é acessório de moda. No momento da fotografia, chuviscava ligeiramente ...

Em modo "Férias"

No regresso, era esta a "paisagem" que eu pude ver ... praticamente todas as janelas da carruagem estavam grafitadas ...
Na Escola Básica e Secundária Soares Basto, as obras continuam ... é a Learning Street (um nome pomposo, para um corredor coberto a ligar todo o espaço edificado ...), são os campos de jogos e é a escadaria, que também pode vir a ser usada como anfiteatro ....

Este é mais um dos imbróglios da cidade. Um edifício semi acabado, mesmo em frente ao espaço desportivo da Escola Básica e Secundária Soares Basto. Será que não há uma solução?